quarta-feira, 30 de maio de 2012

...da lamentação...

Não se lamente!



A lamentação não pode trazer bons sentimentos,
só melancolia e opressão.

Liberte-se do ontem!
Não se lamente.

Construa sua direção.
Seja coerente!
Seja fiel a si,
vá em frente!



Não pare.


Siga e plante suas sementes... 
elas frutificarão a seu tempo.

Não espere de ninguém...
Não crie expectativas ilusórias.
Seja forte e veja!
Veja como as coisas são...
Tenha coragem para olhar, 
analisar e seguir.

Mas não é porque cresceu que há de se parar o sonho... não! 
Não é!

Tenha alvos...
Estabeleça-os e suas atitudes seguirão na direção traçada...

Ok!
Nem tudo o que planejamos acontece... 
...é eu sei!


Mas e daí?
As coisas são assim...
...contudo pode ter a certeza: 
há surpresas no caminho... 
e muita beleza!

Vá com tudo!


Esqueça a lamentação!

No futuro amanhã... ou no futuro depois...
...no futuro enfim,
verá o porquê de tudo...
entenderá que tudo conspirou,
e isso será bom!
Muito bom...

Pode crer!

terça-feira, 29 de maio de 2012

Amanhã eu vou!

Amanhã mudo de cor...
Visto-me de já!
Profiro o sim e vou!


Vou com a mente exercitada no posso,
a alma de pé,
o pensamento livre,
os dentes refletindo sorriso e o vento do novo brisando em mim...

Foto de Marcia Nega

Amanhã reforço o que está fortalecido,
declaro o que creio e alço minha voz em mim ,
para que nenhuma outra voz tente estabelecer-se em meu coração.

Amanhã eu calo o íntimo,
falo o que posso e o resto deixo fluir...
Tem coisa boa demais por vir... e eu quero!

Agora hoje...
Hoje quero descansar,
pôr os pés pra cima no sofá... sossegar!
É tarde já...


Amanhã?
Amanhã eu vou!




domingo, 27 de maio de 2012

escrevo...

Escrevo pelo que me falta... 
...pelo que me sobra...


seduzida por um livro... (uns)

Estava em frente a uma loja e os livros danaram a me olhar.
Ai, que sedução!

Seus títulos fitavam-me de uma forma enigmatizante.
Meu coração acelerou e fui impulsionada a entrar naquele lugar...

Era um mundo tão amplo,
cheio de cores,
amores, 
histórias reais,
imaginárias,
expeculações,
projeções,
planos...

Cada corredor,
cada letra... magia estonteante...


 Daqueles livros saiam sons seduzentes,
cenas calientes,
beijos e abraços sem fim...

Daqueles livros emanavam linguagens do coração...


Fui seduzida por um livro que queria me ensinar a viver a vida...
o traí com um outro, e outros...

Alguns falavam de meditação, 
tinham o hábito de ensinar a tranquilidade.

Outros o amor,
a bondade.

Alguns tinham discursos hipnóticos,
outros tão sentimentalistas que não podia conter minhas lágrimas em nossos longos encontros.

Tinham os energéticos... 
ah esses davam uma disposição tremenda!

Outros só falavam de "outros" mesmo...
Eram muito críticos...

Fui seduzida por tantos,
foram tantas palavras por eles ditas...




Alguns esperam-me ainda na estante de casa...

É. 
Levei-os pra casa.
Ainda não pude conhecê-los intimamente.
Mas anseio... 

Elas são a chave.

A quem é dado o conhecimento é cobrada a atitude.

A quem muito é dado muito é cobrado...



Esperar que os outros façam o que faríamos é tolice!
É a demonstração da carência que temos em compartilhar o que necessitamos...

Se a nós foi dada a visão,
se a nós foram iluminados os olhos do entendimento,
aberto o sentimento,
sensibilizado o coração...
Então há de vir de nós a atitude,
De nós e não do outro,
nada além...

A quem é dado o conhecimento é cobrada a atitude.

Não espere as respostas que já foram respondidas com as perguntas...

Se pergunto: Será que estou feliz?
A resposta é a pergunta: Não estou! 
Pois se estivesse não faria esse questionamento.

Confucio já dizia que não queria entender as respostas e sim as perguntas...
Elas são a chave.

sábado, 26 de maio de 2012

Tá fazendo mal?

Tá fazendo mal?
Largue!

Recomece,
saia, 
abstraia!


Não tenha medo de dizer não!

Tá fazendo mal?
Distancie!

Vá para longe e aproxime-se do que faz bem!

Zele por você.
Seja fiel a si.
Há coisas que simplesmente não valem a pena...
Simples assim.


A vida é...

A vida é algo incrível.

É um presente divino na literalidade que a palavra dispõe.




Todas as oportunidades de recomeço que temos a cada manhã reluzente 
em que abrimos nossos olhos.
Todas as chances de aprender com erros e acertos, nossos e de outros.
Os momentos que podemos apreciar e recordar.
As lágrimas quentes que percorrem o rosto, 
as rugas,
os cabelos brancos,
as marcas no corpo...
cicatrizes, 
tombos...

Mapas com um traçado histórico que definem nossas vidas,
que modelam nossa alma,
que nos fazem evoluir.

Simples demais?
Sim.
São esses momentos simples, cotidianos,
são esses detalhes que compõem o todo.


A vida é algo incrível mesmo!
Cheia de altos e baixos...
Emoções a flor da pele,
silêncios,
multidão de palavras...
Momentos de ação,
de oração,
de amor,
de dor...


A vida é uma sinfonia absurdamente perfeita!
Um som grandioso produzido por uma gigantesca orquestra...
Tantos instrumentos são usados...
Agregando-se uns aos outros...
...contruindo uma melodia perfeita que nos faz aplaudir de pé.

A vida é!

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Ser feliz!

Ser feliz é praticar o que se acredita.
É olhar para dentro e avaliar o que você é e o que te preenche.
Entender o que traz um sorriso largo e extenso ao coração...
O que amplia a visão com planos e projetos múltiplos...



Ser feliz é ser inteiro.
É a busca constante da vida plena, 
em conformidade com suas crenças...
com sua fé...
com seu ideal.


Ser feliz é ser autêntico.
Não ter medo de se expor.
Revelar o pensamento em ações.
Não viver omisso e rendido às convenções.


Ser feliz não é um tabu.
Não é uma busca futura.
Ser feliz é observar a beleza do hoje 
e permitir-se viver toda sua plenitude...
lembrando-se e esquecendo-se que o amanhã não cabe a nós...
Que o amanhã ainda não existe.

Ser feliz e mais nada...




quinta-feira, 24 de maio de 2012

Depois eu falo...

O que mais me assusta é gente com cara igual,
com roupa igual,
com pensamentos iguais.

O que me causa estranhamento é essa gente encapada,
coberta de nada,
achando-se tudo que há de melhor... 
Ai! Sai!

O que mais me enoja é gente falsa, invejosa,
que não pratica aceitação,
que almeja no outro transformar-se.
Gente que não sabe quem realmente é.

O que mais me aborrece é a hipocrisia social,
que finge ser bem o que é mal,
que condena o que às escuras pratica,
e despreza quem expõe o que ela esconde.

O que me decepciona é gente que fala e não faz.
Que tem um belo discurso,
que sabe encantar... 
mas na verdade não tem solidez.
É vácuo.

O que mais?
Tem mais... muito mais... eu sei...

Depois eu falo!

Castelo de areia se desfaz...

Respirar fundo.

Respirando fundo...minha felicidade consiste em respeitar o que sou.
Em exercer-me.
A grandeza é a explosão da verdade...
o cume do monte interior.
O duelo é para não adulterar-me,
não seguir o caminho do caos,
do vazio ilusório que a aparência dispõe,
e propõe...
Respirando fundo... anelo pluralizar-me maximamente.
Ser só o simples ser,
permitir minhas cores,
meus valores,
entregar meus secretos lugares,
emanar minha verdade...
E pronto.
Respirar fundo...




quarta-feira, 23 de maio de 2012

credita...

Belezinha?

Cê é boba hein coisinha!
Cê é bobin...

Tá fazendo o quê na vidinha,
que ganhou do Paizin?

Comé que é hein coisinha... vai ficar por aí?

Em cima do muro filhinha... pode tudo ruir!



Ma que tola hein menina!
Vida corre assim...

Tem cuidado hein mocinha!

Credita ni mim...

em si...

Em equilibrio.


Constante.
Intensidade no pertencer.
No ser parte do todo.
Do grupo.
Dos outros.
Do mundo.
Do viver.


Em equilibrio.


Respeito e grandeza.
Autêntica nobreza,
sem pestanejar.
Maestria.
Coragem de expressar o que de fato dentro há.

Em equilibrio.

Isolando as influências.
Permitindo estar...
Para que seja,
para que diga,
para exercer o pleno... já!

...longe do mundo,
dentro de si,
exala o profundo e altera o mundo enfim... 
por se equilibrar...
...em si!

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Ordem do dia:

Ordem do dia:

1 - Pôr ordem na casa que sou;
2 - Pôr ordem na vida... de acordo com o que o coração ordenou!


Mudanças?


Comece por si!



domingo, 20 de maio de 2012

...chá!

Eu estava te esperando amor...
pra tomar um chá junto.


Estava esperando te esperar...

Meu amor... meu humor foi feito para suas piadas.
Meu olhar para encontrar o seu.
Meu cheiro para teu nariz.

Eu estava te esperando amor...

No meu silêncio cabe sua voz...
Em minha boca o teu beijar.

Meu amor...
Que bom te encontrar...

novidades...

O que é isso que está acontecendo?
Assim pensou.

Não atinou direito o fato.
Era uma surpresa.
Um pasmo.
Uma novidade não esperada dessa forma,
mas sonhada,
é fato!

O que eu faço agora?
Pensou...


Não sabia como agir.
Surpresas acontecem no caminho para mostrar que há algo maior 
e melhor do que nós,
modifica as direções,
interfere nas projeções,
nos ditos caminhos...

Eu sempre quis isso... pensou...
mas e agora?


sexta-feira, 18 de maio de 2012

...da observância...

Pare um pouco e observe.
Somente observe.
Não fale.
Escute.
Veja.


Veja como as coisas são,
como realmente são...
...como as pessoas fluem,
ouça as palavras,
as risadas...
perceba os olhares,
as linguagens.
As pessoas não são o que dizem,
são o que fazem...
São o que demosntram...
São o que expressam.
Pare um pouco e observe.
Esqueça o que quer dizer,
esqueça o que quer viver...
E veja!
Seus rumos podem mudar,
suas atitudes podem ser transformadas,
pelo simples fato da observância...
Tudo dependerá do alcance do seu olhar.
Tudo dependerá da capacidade de suportar o que se vê...
A verdade do que realmente é.
E novamente pare e observe.
O agir refletirá como espelho... 
não a imagem que querem oferecer, 
não a interpretação... 
a adaptação...
mas o que comprovamos ser...
Seja o que for.
A nossa atitude vai dizer.
Tenha coragem e observe!






Contaminação.

Contaminação.
Parece inocente... nem parece que é.
Mas é.
Cuidado.
Olhe bem.
Abra o coração.
Sinta-se e sinta-os.
A observância faz a diferença.
Reveja.
Refaça o percurso.
Tudo tem uma razão.
Analise.
Determine direções e mude atitudes.
Cuidado...
Não adultere-se não!
Nem tudo que reluz é ouro tesouro.
Olhe bem...
Seja claro e escolha: Sim ou não?




quarta-feira, 16 de maio de 2012

Peixes...

Minimalista.
Compactada na intensidade.
Proposta silenciosa.
Nas águas.
Dos Peixes.
Dos que navegam em amplos lugares...
...pouco frequentados e pouco conhecidos 
dos que na superfície tracejam seus passos.
Das águas profundas.
Daqueles seres que são dotados da coragem admirável...
daquela dos saltos...
Do se lançar... 
Das tempestades diurnas.
Da vida secreta da alma.
Distância das curvas,
da sinuosidade incessante.
Da fumaça intoxicante,
do brilho escuro confuso da noite.
Da romântica constância e calmaria que brisa a vida... da menina.
Do dia.
Do monte.
Do interno bruto.
Da grandeza que não se pode falar aos que só ouvem a si...
Minimalista? 
Amplitude.
Na essência coragem: bravura!
Tem até doçura pelos mares barcos em si...
É de se admirar tais peixes.



presentes...

Porque Deus nos dá grandes prêmios. 

De altos valores. 

Que não são mensuráveis materialmente... 

São tão profundos e genuinamente estão impregnados em nosso coração.

São verdadeiros presentes.

Reconheça-os e valorize-os.

São raridade.



Gratidão.

Gratidão por poder sentir tudo o que tiver que sentir.
Gratidão a Deus por tudo.

A gratidão é um sentimento tão profundo que reconhece o que aparenta aos olhos ser mínimo.
Podemos ver o quanto é grande e importante o tal mínimo...
é o que faz da vida o máximo.

Os melhores momentos são os mais simples.
As pessoas mais encantadores são aquelas que se revelam ao todo,
que não se escondem atrás do belo... e sim rasgam suas capas,
abandonam seus jogos e se mostram...
Quando não queremos impressionar a ninguém,
quando não queremos conquistar...
nesse momentos é que somos impressionantes...
nesses momentos somos o que somos.

Alguns se assustam com pessoas reveladas,
outros dizem que têm medo das coisas tão declaradas,
porém há coisa mais forte do a coragem de expressar e viver em plenitude com sua verdade?

Gratidão pela força da maturidade.
Gratidão pela fidelidade e lealdade.
Gratidão pelo exercício do perdão.
Gratidão pela coragem de ir, e pular no aparente abismo confiante, 
de andar na luz de cada passo, 
sem ver o fim do espaço que se está a percorrer...

Gratidão, gratidão...
Gratidão a Deus por tudo!

O amor me compõe...

Transborda... inunda...
Exala...
Esvai em lágrimas,
em palavras,
em sorrisos,
em abraços,
em declarações.

O amor me compõe,
é minha palavra,
é supremacia na fundação e expansão da vida,
é o ápice da perfeição...

O amor encobre todas as transgressões.


terça-feira, 15 de maio de 2012

Ela vai comigo...

E por onde quer que eu for, minha arte vai comigo...



Está impressa na alma,


a pele exala dela,


os lábios pedem a fala,


o encanto enche o peito ao ver os textos,

as histórias,

as artes...


E por onde quer que eu for... 
minha arte está comigo, 
em mim e através...

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Liberdade em mim ou saída!

Pessoas confusas trazem a nós sua confusão...
E com a sua incerta certeza envolvem-nos no pensar que a confusão pode estar em nós...
Nos dá nós!
Mudam nossos lençóis...
Invertem os papéis...

Pessoas duvidosas imprimem em nós seus medos,
nos fazem pensar nas distâncias,
no que é difícil ser, e fazer.
Em como pode ser difícil alcançar.

A grande diferença se faz nisso...
Alguns vão e outros somente querem ir...


Por isso uns são cabeça e outros cauda.

Não podem.
Não conseguem.
Têm freios internos.
Não conseguem fecundar...

Pessoas resolvidas esclarecem,
pessoas não resolvidas codificam a vida...

A não observância desses simples fatos e atos,
podem ser fontes conflituosas e causadoras de males,
que não moderados podem tornar-se destrutivos e doentios.
E causar-nos clausura em locais abertos,
em cárceres de engano...

Se algo que dizemos ser bom nos causa coisas ruins o que se pode dizer?
O bom pode ser ruim?
Da mesma fonte pode fluir água doce e salgada?

O que é bom causa o bem e ponto.
Nossa visão está turva nessa água.

A Luz revela tudo.

Liberdade em mim ou saída!

Posso ficar no mesmo lugar 
e ainda assim lançar fora as impurezas 
que transformam as certezas em incertezas...

Ver como o todo é, é ser livre.
Consciência é liberdade.




Que pena!

E quando eu o vi pelos amplos corredores,
jogando charme e seduzindo outros amores...
Debaixo de mais traições,
ilusões e vazios...
Pensei comigo: Ele não vale a pena... 
Que pena!


Casa do poeta...

E me trancaram em casa com essas palavras...

Elas estão voando...

Pairando...


Elas são incessantes,
estão apavorantes,
enlouquecidas,
amalucadas...

E me trancaram com elas...
E elas forçam sair.

Ai de mim!
Ai de mim que estou aqui!

lindin...

Ele disse:
- Sua mãe te deixa namorar?

Pensei:
- Olha que já! Olha que já!



Recolhida...

Estou recolhida.
Da escrita expando minhas rimas.
Dentro sou acolhida.
Cuidada.

Sou fragilidade.
Verdade! Pode acreditar...

No intenso movimento que me tornei.
Lagrimei o esperançar.

Estou recolhida.
E nos risos escondo o desapontar.
Quero desocupar o lugar.
Abrir a casa que foi montada.


Simples casa.
Os móveis rústicos e pesados têm que ser retirados.
Têm que sair de lá!

O antigo morador é andarilho...
Anda fora do trilho...
E também não sabe nadar...
...sabe não amar.

Quem vê meu riso conhece o meu olhar?



No desejo as palavras ou nada!

Pluralização das palavras.

Eco que foge da razão.

Sentimento bom... 
Sentimento ruim... sei não!

Sensibilidade a parte,
menina grande ou o quê?

Da pele, da arte, do coração... 
Troço bom ou ruim... fazer o quê?


Das lágrimas saem os temas, poemas...
Do riso sai um tênue olhar...

Velo teu sono em meu acordar.
Acordas?
Acho que não.
Só, fico a prosear...

Cores e pinceladas.
O rabiscar na trovoada.
No desejo as palavras... ou nada!

Tá.

Só pra declarar meu amor por ti.
É sincero e grande.
É só meu.
Só tenho amor pra lhe dar e meu corpo também quer estar em ti.

Tá.
Pelas letras, formas e sons.


Entrelaçados nas canções.
Formando arte casais.

Só pra declarar o que não declarei.
Só pra dizer que és meu tambem o cantarolar o não.
Só tua inconstância e razão.
Medos e fugas do viver.

Tá.
Há um grande e profundo pesar.
Há um desprezo por tanto mal estar... 
Escurece o admirar.

E por toda a verdade que há.
Um bolo na garganta dá.
Tristeza, vento, e tempestade chega.
Também a proteção para não se molhar.

Numa estrada de areia foi,
foi embora a caminhar.
Sem direção,
vazio, estética e ilusão...
sem nada,
só erro e medo nessa estrada.
Construindo sem alicerce vai...

Para declarar que acreditei,
e se foi erro eu errei,
mas por deixar nascer,
o que já estava a ser: o meu amor por ti.

Só pra declarar que te amo...
Não por merecer... mas porque amor é deixar sentir.

Só.

Só uma casa.



Uma rede e o vento do fim de tarde.


Só um abraço ao chegar e um beijo quente ao sair.

Só o dividir opiniões.
Só o discutir ocasiões...

Só sentir a pele e velar o sono de leve.

Só o gargalhar no olhar.

Só uma mochila cheia de histórias,
uma trilha sonora na memória,
e um poema que possa explicar.



Só o compartilhar dos sonhos e pagar as contas juntos ou só, se alguém deixar...

Só o hálito bom,
o perfumar tudo com o som,
os dedos entrelaçar.

Só o apagar dos ríspidos gritos,
o perdoar os tristes períodos,
o entender o calar.

Só.

Idade ou quem?

Quem determina o tempo?

Quem nomeou a data?

O calendário é um norte 
para organizar a caminhada.


A idade é um medidor social
 de cobrança postural.

E na verdade, não é nada.

Besteirada!

E quem disse que alguém é o "quem" que pode impor as regras?

Quem?




Sem título.

Nunca andei por esse lugar...

Nunca pensei caminhar esses estranhos lugares meus.
São pesados esses ares.

Estou indo.
Vejo de outra forma,
por outra ótica os fatos que constituem as direções.
Ações e reações...

Desencadeamento natural.

Quero correr, quero parar,
quero berrar!


Não ouso dizer minhas verdades... 
Em que ouvidos cabem?
Estou aprendendo a calar.

Há sabedoria no pouco falar...

E no não falar nunca o que há?
Há a ausência e o arrependimento na posteridade...

É, o equilibrio está na metade.
Tem jeito não.

...fico aqui.
Hoje estou sem título.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...