quarta-feira, 20 de agosto de 2014

você

eu amei você bebê
com b
com c
fazer
o q?


eu senti você bebê
beber
meu bem
prazer

eu quero você meu ser
é meu
viver

eu sonho com o que você?
não posso...
dizer.

meu sim

mas fazer o quê?
era uma boca quente...
uma língua ardente...
uma química sem fim.

uma coisa louca,
seu pulsar sem roupa,
sua pele em mim...

mas fazer o quê?
vou fingir pra quê?
se isso não tem fim.

fecho os meus olhos,
e em ti recordo,
meu amor,
meu sim.

Fazer o quê?

não quero ser tão carnal...
mas fazer o que?
isso é mal?

não quero agir sem pensar...
mas fazer o que?
quero mais...

o que eu podia...

o que eu podia fazer?
correr?
abandonar o barco no seco?
temer?

o que eu podia fazer?
gritar?
fingir a meninice que não...
existe mais lá?

o que eu podia fazer?
fiz?
cri?
vivi?
segui?
lá?

o que podia fazer?
mais?

SEU SORRISO

seu sorriso brilhou meu dia
aliás, se fez dia e nunca mais escureceu.

é uma luz que irradia minha vida,
uma poesia que Deus mesmo escreveu.

que beleza é essa vida,
um amor,
um beijo teu.

que riqueza essa alegria,
essa vida que Deus deu.


terça-feira, 19 de agosto de 2014

Amor, amados...

Minha poesia é amor
amados
amadas

Minha poesia é alma plena
e sedenta

É cor e música
É sorriso largo
É abraço apertado
É declaração pública de afeto
É coisa
É treco
Minha poesia é letra
e sussurro

Minha poesia é o som de um violão
É o sol no Grumari
É a larga boca da escrita a falar

Minha poesia está
É
Será

Amor,
amados,
amadas...



Surpresas

A vida é assim:
Uma caixinha linda de surpresas.
Quando menos se espera,
Ou quando mais se espera,
Não posso precisar...
afinal a vida não é precisa.

Não posso desvendar seus mistérios.
Simples e complexos...

Posso admirar, reconhecer e agradecer
pelos caminhos que são abertos,
pelos presentes tão belos,
pelas tão grandiosas surpresas que sempre nos esperam... e nos fazem amar...

Ah... a vida é assim:
Uma caixinha de surpresas!


Para ti...

Sorri novamente com teus olhos nos meus
Dá um jeito no tempo que passa
Que tudo passa quando eles sorriem para ti




Saudade

As bobas risadas.
A graça do que não tem graça.
A simplicidade do momento.
A ausência.
O sentimento.

Foto de Marcia Nega - Blog - deolhoemcanela.blogspot.com


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Ti mesmo

Estuda a Ti mesmo
Observa-te
Pergunta o que queres
O que te faz feliz
O que deseja de verdade
O que precisa
O que está fazendo
"Pronde" tá indo
E vede bem quem és
E quão simples coisas na verdade necessitas
E quão simples coisas te fazem
feliz
E às vezes nem sabes...



Fecha essa matraca


Fecha a matraca
Cala
Tem hora pra falar e pra calar
Fecha essa matraca louca
Não se diz tudo que pensa
Não se arrota o que não come
Fecha essa matraca e vive
Mais que filosofar é viver
Mais que falar é ser
Tudo o que se diz

Então fecha essa matraca!

Posições

Chega o tal do tempo e chega chegando.
Se é que pode me entender o termo usado.
Sem autorização, sem liberação ele vem.
Sim. O tal cara tem a cara da mudança.
E qual cara é essa cara?
Sei que vem se impondo e tira as coisas do lugar,
se é que elas estavam no lugar certo.
Ao certo estavam por um tempo já passado 
e agora precisam ir para que o tempo novamente passe.
Assim esse cara deixa suas marcas.
E muda de cara.
Muda forçosamente sem doer a alma.
Muda a história o cara.
Muda a posição o cara.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...