domingo, 23 de novembro de 2014

Sim, queria sim.

Queria sim declarar abertamente o vai dentro do peito ardente
Assim cristalina como os sinais da vida
Como toda verdade que sabemos dentro do peito
 sem que ninguém nos conte
 
Assim
Com as cores da alma que grita na caixa
No corpo que guarda a fala
 
Queria sim dizer-te tudo que não precisa ser dito
Mas desde quando precisa ser dito algo?
 
Sim...
O amor não precisa ser explicado nem convencido
Ele é dado
É inteiro
Arriscado
Doído
 
Sim, ele não tem palavras
Tem batimento forte
Rápido
Tem grito
Tem raiva
Tem calma e perdão
 
Sim, o amor tem esperança
Tem planos
É uma construção diária
Uma vida
 
É vida
O amor é vida
 
 



O Amor

O amor nunca morre.
Ele vive e se alimenta...
 
É o motivo de tudo e nada tem valor sem ele.
 
O amor é a beleza da vida,
o encanto dos sorrisos,
a cor do olhar.
 
O amor é tão grande que às vezes amedronta...
Um misto de fugir e ficar.
 
O amor vale a pena.
É o melhor da vida.
Tudo que realmente podemos levar.
 
Não há tradução para aquilo que o amor nos dá.
 
Amor é poesia que não cessa,
a significância das palavras,
das rimas,
das cifras,
dos encontros,
dos motivos,
dos sonhos,
dos reencontros.
 
O amor vale.
É essencial à alma.
Acalma,
enerva,
arrepia.
 
O amor é alma da vida.
A alma da vida.
 
 
 
 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...