segunda-feira, 6 de novembro de 2017

vento

abstenho-me de dar letras e formar palavras que saiam de minha boca para o mundo.
às vezes parece absurdo gastá-las,
jogá-las como qual ao vento.
parece-me um desperdício de vida dizê-las.
é tudo tão claro e tem-se que dizer tantas coisas para que sejam entendidas.
o que dizer?
o que adianta?
aos homens a vida ensina no tempo que a falta chega,
ao tempo que a história lhes sufoca,
ao tempo que os dias vão-se embora e os sonhos são expostos aos seus olhos internos de outra forma.
de nada vale a força que se faz para que o outro veja.
ele vê sozinho.
quando lhe for apraz.
quando tiver que ser.
e não mais.
tal fato faz-me calar e viver meus dias como meus dias.
calados dias.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

coisa errada

O que eu sinto é estranho.
Parece tudo torto.
Fora do lugar.
Como roupa jogada pela casa.
Como pingo na pia que não para.
Coisa errada.

Na cara

Uma porrada.
A realidade.
Uma porrada.
Na cara.
No estomago e na cara.

VALHA

UM DESABAFO
UMA PALAVRA
UM RESPIRAR
OU NADA
OU NADA
CALADA
SEM VOZ
SEM DIZER COISA
ATOA
COISA QUE NADA VALHA

sábado, 21 de outubro de 2017

assim seja. você.

que tua oração seja tua.
teus pensamentos sejam teus.
que você se coloque consigo e seja.

que você seja inteiro.
seja leve.
seja pesado.
seja invocado.
seja você.
Seja.

que você se encontre e não se perca.
que se ame.
que se cale.
que não se mate.
que não boicote a si.
que se veja.

que você seja.
se respeite.
se perdoe.
siga.
que você olhe.
que você veja.
que seja.
que assim seja.

ora

poemiza tua vida com teu melhor poema interno.
externiza e faz-se ser aquilo que na alma impera.
sorri com tudo que em tia há e se houver choro,
chora com tudo que tens e molha tua terra.
sara tua ferida com tuas confissões.

Outro dia.

Outro dia era um dia estranho.

Mas o corpo chorou, a boca sorriu, a alma olhou, a boca beijou, o braço abraçou, a vida seguiu.




Liberdade das palavras

É que o silêncio é libertador.

Liberte-se das palavras.