terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Bom dia!

Bom dia!
Lava tua alma com água límpida.
Espera o melhor que um novo dia acabou de chegar!


Comece já!

Não tenha vergonha de recomeçar.
Antes tarde do que nunca.
Antes agora do que ficar sonhando por todos os anos que ainda virão.

Simplesmente faça.
Não deixe para amanhã.
Você pode fazer agora.

Comece já.

Aquela dieta que programou pra segunda.
Aquela oração para Deus te ajudar.
Jogue as roupas surradas fora.
Dê as que alguém ainda pode usar.

Recomece.
Não precisa ser segunda.
Precisa querer mudar.
Deixe o querer virar ação.

Comece já.

Escreva mensagens a quem você ama.
Não espere o aniversário chegar.
Peça perdão e se perdoe.
Você pode avançar.

Não deixe pra depois o que pode fazer já!

O tempo passa tão rápido.
Rápido você vai ver que não vale nada o muito falar.
Só o que realmente vale é viver.
Ser de verdade.
Ter coragem de ir mesmo que o mais fácil seja ficar.

Nem sempre as coisas serão fáceis.
Nem sempre o que sonhamos vai se realizar.
Às vezes é um pouco mais duro,
mas você vai passar.
Tudo passa.
Vai passar.

Então se seu espírito pede:
Mude.
Comece já!



Esqueça

Esquece o que passou.
Não fixe seus pensamentos nas antigas chagas.
Não deixe que um pensamento ruim traga outro.
Porque esse é o caminho.
Um abismo puxa o outro.
Esquece.
Deixe as águas internas levarem para longe de ti.
Deixa fluir para outro lugar.
Não deixe arraigar.
Pode adoecer a sua carne.
Pode até matar.
Esqueça.
Algo melhor virá!


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Amar

Quem ama quer o bem.
O amor é bom.

O amor não cabe em poema.
Nada pode dimensionar.
O amor tem uma beleza que não se descreve.
É incrivelmente belo dentro de um olhar.

O amor é paciente,
é perdoador.
Sofre, sofre, sofre o amor.
Seu sofrer o faz crescer e experiente ficar.
Ele nunca deixa de amar.
Não pode.
Ele é o amor, apesar de qualquer dor.

Esse sentimento é tão nobre que faz suspirar só em falar.
É tão belo.
Tão sério.
Tão encorajador.
Dá suas qualidades a quem a ele se entregar.

É nobre.
Amar.




Silêncio

Fiquei em silêncio.
Emudeci.
Meu peito batia tão forte que não conseguia nem engolir.
A saliva estava pesada.
A mão só sabia tremer.
Escrever?
Pra quê?

Fiquei em silêncio.
Cabeça começou a doer.
Senti um pesar no peito.
Só podia emudecer.
Engoli as palavras que de concreto eram.
O coração queria pifar.
A visão queria esbranquiçar.

Fiquei em silêncio.
Fiz o que devia fazer.
Algumas horas depois.
Normalizou o respirar.
É preciso descansar.
Esquecer.

Ainda estou em silêncio







domingo, 22 de fevereiro de 2015

Mensagem do dia - Confiança interior

Seja paciente. (As coisas não acontecem da forma 'ilusória' que planejamos. Existem dificuldades reais, mas podemos ultrapassá-las)

Respire fundo. (A respiração ajuda em tudo. É quase um momento meditativo se fizer isso a sós. Se sentirá melhor)

Fale com Deus. (Falar com Deus, manifestar sua esperança age de uma forma muito positiva. Quando falamos em voz alta nos ouvimos de uma forma diferente do que quando fazemos isso só mentalmente. Experimente.)

Peça a direção. (Dizer o que precisa nos ajuda também a enxergar quais são as dificuldades que estamos passando. Só é ajudado quem precisa de ajuda)

Sinta a força fluir de você e ouça essa voz. (Não é uma mágica. Mas se você puder crer em coisas que vão além de você poderá sentir uma mudança. Como se ficasse em pé interiormente e sua força fosse recarregada.)

Siga confiante. (Siga em frente com essa firmeza e saiba que ela é real e pode mudar tudo se você acreditar.)

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Nenhum medo.

Ele me esperava.
Não sei a quanto tempo.

Quando tocou minha cintura,
eu senti,
ele não tinha palavras.

Seu olhar rasgava meu corpo ao meio e via a minha alma.
Era assim que ele chegava.

Tive medo.

Uma vontade de correr daquele desasossego,
Mas não tinha jeito.
Cresci.
Tinha que ter peito para deixar fluir,
e viver de perto o perigo do que me dava medo.

E que medo.

Ele me espancava com seus beijos.

Eram tão fortes os beijos que já não beijavam,
batiam,
metiam medo.

Descontrolados beijos cheios de uma nostálgica lágrima que perguntava por onde eu andava antes dele.
Sem ele...

Seus dedos.

Tocaram minha pele seus dedos.
Sentia palpitar nos dedos o pulsar do peito,
estavam nos dedos.

Eram tão macios,
cuidado, receio.

Respirou profundo,
sem dizer palavra,
nada,
respirou bem fundo.
Me olhou com calma na alma,
Tinha passado tudo,
passado, 
era tudo.

E eu já não tinha medo.
Nenhum medo.


Odioso

Sim, odioso.
Apesar de todos os sorrisos que retira de todos.
Apesar de todas as piadas.
Apesar das noitadas.
Odioso.

Talvez seja inexplicável,
pesado,
talvez seja doloroso isso dizer.
Mas a verdade liberta,
e de verdade liberta o ser.

Ele era odioso e se fazia desejável.
Viver em meio a mentiras é como viver em um lodo,
pegajoso.

Mentir é viver sozinho.
É vergonhoso.
É aí que se vê o quanto admirável é a verdade.
O quanto é fortalecedor.
O quanto causa admiração e amor,
O quanto se relaciona com o Bem.
É aí que se vê...

A verdade é o que te faz ficar de pé.
Te mantém são, dá força e coragem.
Ela caminha junto com a sinceridade e com a Luz.
Porque a Luz tudo revela... e nada tem a esconder.

Pessoas mentirosas são fraudulentas com suas vidas e as vidas dos outros,
vivem como se estivessem em um jogo,
E só sabem perder o que é valioso,

Costumam de verdade nada ter do que tem valor em um ser.
Vivem escondidas,
amparadas pela escuridão,
pelos laços mortais de palavras malditas,
de sementes malignas que plantam no terreno fértil de tantos corações.

Só que há colheita.
Sempre houve e sempre haverá.
Boa ou má,
sempre chegará.

Mas tenho que dizer... é odioso.
Tenho enjoo...
Não gostaria de ver...



Rarara

Ela criou um perfil e se sentiu famosa.
Agora publica tudo o que faz.
Se vai ao médico,
se chora,
se ama,
adora,
se comprou ou vai comprar.

Ela adora.
Coisa idiota.
Gosta de falar.

Ela criou um perfil e montou a personagem,
É uma estrela a garota,
inocente moça,
será que sabe o que faz?

Ela criou um perfil e nem notou quem saiu da rede por não suportá-la mais.
Vive num mundo imaginário,
achando que fãs e usuários estão ali a lhe amar.

Ela criou um perfil, mas tem botão pra deletar.
rarara



Vai lá e encara!

A carne estremece toda.

Parece que o coração vai parar.
Sei não o que há.

"Inda" bem que não para!

A mão estremece atoa,
só ouvir a voz,
misto de amar e odiar.

"Inda" bem que não tem arma pra apontar,
e atirar!

E se a boca não fala a palavra que tem,
mata por dentro de doença,
que vai no peito espalhar.

E se o riso encobre o chorar,
dá um aperto,
causa náuseas,
não se pode deixar.

A carne estremece toda.

Melhor dizer o que deve.
Se livrar do que impede.
Apagar o que precisa.
Deixar tudo pra trás.

Melhor fazer e ficar plena,
e viva,
do que deixá-la dominar,
e te matar.

Vai lá e encara!
Vai que dá!



Tola.

Ela acreditava tanto em transformações que sozinha transformava as pessoas.
Garotinha tola.
Só na sua mente transformava as pessoas.
Tola, tola.
Garotinha tola.

Sobre a morte

Minha alma parecia que ia sair de mim.
Não sei quem já viveu isso?
Acho que muitos de mim existem por aí.
O mundo é grande demais, imenso demais e há muitos mais de mim.
Dessas pessoas que sentiram o que eu senti.

Lembro-me com as lágrimas que sempre chegam junto com a memória sobre o momento.
Lembro-me que meu corpo não me respondia.
Assim como o dia é dia lembro-me desse dia.
Tudo ficou menor depois disso.
Tudo que eu me preocupava ou desejava ficou desimportante depois que quase se perde sua própria vida.

É como dar valor à saúde depois de ficar doente.

Eu entendo.
Entendo isso.
Entendo pessoas que mudaram tudo.
Que largaram profissóes e amores destrutivos.

Entendo pessoas que foram embora só com suas roupas.
Entendo as pessoas que começaram a devotar-se a ajudar aos outros.
Entendo as pessoas que se afastaram dos velhos hábitos e até de alguns ditos amigos.
Entendo isso.
Hoje entendo isso.

É que nesse momento algo acontece.
Um estalo. Um estampido dentro. Um movimento interno.
Algo que não se pode explicar e que impulsiona a mudança que realmente estabelece uma nova vida.

Sinto em dizer mas nossa alma não é nossa.
Eu vi.
A minha parecia que saíria de mim.
E eu achando que era minha...
Eu soube ali, que se fechasse os olhos como em um desmaio ela não voltaria mais pra mim.
Não voltaria.

O corpo: uma caixa.
A mente: uma voz forte a gritar.

Sinto em dizer como envelheci depois disso.

Um tapa de realidade arrancou a brandura rosa que transitava em minha vida.
Um tapa na cara de uma mão pesada bateu.
Mudou.
Transformou tudo.

Aí pintou uma solidão estranha.
Não é solidão e nem tamanha.
É uma meditação continuada e equilibrada que tira tudo que não precisa estar.
Tira tudo do lugar e reposiciona com o seu valor real.

Um choque mortal.
Daqueles que arrepiam os pêlos até dos lugares que já não têm pêlos.
Uma coisa visceral.

Que muda tudo.






Telas más!

As telas roubaram as pessoas da nossa vida.
Tomaram suas vozes dos nossos ouvidos.
Tomaram o sorriso que davam para nós e hoje dão para fotos digitais que nunca serão reveladas.

As telas roubaram os abraços e momentos que podíamos ter juntos, por aqueles que hoje serão somente falados, porque as telas encurtaram a distância e mataram os encontros que fariam a saudade menor através dos toques e dos momentos que teríamos juntos.
Hoje esses momentos são trocados pelos momentos à mostra nas telas. 
Belas telas. Morte às telas.

As telas criaram novos mundos.
Deram vida a mundos internos que na realidade não existem, são somente belos assim nas fotos.
Nas telas grandes e pequenas que minimizam o mundo ao bolso.

Assim como em novelas, as pessoas acompanham os capítulos das vidas dos outros, olham como por uma janela, a vida que os outros criam para mostrar à todos a perfeição que na verdade não vivem.

Isso porque todos parecem buscar um mundo perfeito e sempre olham para o mundo dos outros com um universo imaginado que na realidade povoa somente seus pensamentos. 
Olham, observam e constroem as histórias que mais desejam. 
Histórias que não condizem com o que está revelado à sua frente. 
Histórias irreais... 

E ai daqueles que ficam sem as telas usar, podem até receber ligações de preocupação... coisa que hoje em dia, quase não existe mais, as tais, ligações, audíveis, sensíveis, proximais...

Podem até ser belas, mas às vezes acho as telas muito más!






sábado, 14 de fevereiro de 2015

Aos leitores

Olá queridos!

Uma parte de mim está também aqui nesse link Pensador uol / Andreia Quintão

É realmente uma ferramenta tão importante na minha vida A ESCRITA.
As letras fazem parte de mim tal como não poderia discorrer aqui.

Tenho muito amor por este caminho, por esses mundos em que todos estamos entrelaçados. A poética, os contos, o universo imaginado...

Um terno abraço e uma bela  noite de domingo!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Papo de doido?

Ai que dor.
Uma coisa angustiante no peito.
A música entra nos ouvidos mas não eleva 
a alma desse ponto estranho que é o pensar profundo.

O incrível é dizer que o que está dentro deve ser resolvido dentro mesmo, e só.
Os silêncios sempre serão cheios de palavras,
mesmo as não ditas.
O respirar está ligado ao pensar e faz o ritmo de tudo...
Ai que dor.
Que coisa estranha.
Lidar consigo é coisa de gente grande.
A maior superação é realizada conosco.
Só conosco...

Papo de doido?

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

PÍLULA FALADA - Texto: MEU PARAÍSO

video

PÍLULA FALADA - Texto: INFARTO

video

A espinha.

Me pegou com força.
Me beijou.
A língua era boa.
Uma delícia.
Sua pele, suave e macia.
Me pegou olhando-me nos olhos.
Quente.
Muito quente o que suas palavras diziam.
Arrepiavam-me a espinha.

A espinha.

PÍLULA FALADA da postagem BOCA DE MULHER

video

Fragmento de ... tudo voltando ao lugar

video

Vídeo - fragmento postado no Instagram

http://instagram.com/p/y7bBJtivIv/ 

Paz

O coração pede paz,
não mais dor,
só paz pede o rapaz.



Tum tum

O coração tum tum
E foi tum tum rápido
A carne tremeu
As mãos formigaram
A vista escureceu
Boca branca
Medo começou apertar
Coração tum tum
A acelerar
oração veio forte
Não podia agora
Com a sorte contar
O tum tum era tanto
Que encheu-se de pranto
Medo dele parar

Tum tum fique bem
Eu prometo a você
Vou me comportar


segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Boca de mulher

Boca de mulher é uma faca
uma mordida
ou... uma lambida,
Bem dada.


Infarto.

Bum!
Sim, bum!

Explode o peito a palavra não dita.
"Canceriza."

Palavras não ditas,
sentimentos escondidos,
mágoas antigas,
coisas que nunca se resolvem,
Coisas que não se dissolvem...
adoecem a vida.

Tiro no abdomen que sangra até matar.

Dor no peito que faz a pressão aumentar.

Voz na mente que não para de gritar.

Choro na alma que não para de pingar.

Morte súbita se de tudo não se livrar.

Infarto.


quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

http://instagram.com/p/ysfwomivCq/ 

...quem é você?

http://instagram.com/p/ysbd1sCvK7/  

Ela

Assim 'fora da cena' me dividindo...
Texto Ela - Falando de: Pequenas Histórias



video

Por proteção

Muitas vezes é por proteção que a mente se faz ausente.
Ela, querida amiga mente, até mente pra gente pra poupar o coração.
Engraçado o que se faz por proteção.
É um grande sistema de defesa.
Oculta os tristes fatos.
Esquece até mesmo coisas muito importantes,
não obstante, a mente, essa danada,
é pra frente,
mas pra frente que a gente.

Mente

Nossa mente pode ser um campo minado.
Cuide dela mais do que possa cuidar do corpo.
Ela o comanda também.
Uma mente mal cuidada adoece o corpo. Adoece a vida.
Tira os estímulos,
mata a esperança,
traz amarguras,
lamentos,
tormentos.
Cuide desse lugar que pode se tornar perigoso.
Faça de tal campo um lugar de paz.
Daqueles com o frescor das manhãs de primavera.
Zele por ele e afaste-se de tudo que faz mal para essa terra.
É uma terra fértil.
Plante boas sementes, peneire-as.