Postagem em destaque

Peteleco.

Ando tão sensível que um peteleco faz um furo. Deus me livre dos petelecos. Deus me livre dos furos.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Meu amor.

Oi meu amor.
Me dá um colo?
Um cheiro,
um abraço,
me dá calor!
Não fugirei de ti.

Eu te namoro...

Ei amor...
Sabe onde eu moro?



Descanso.

Descanso.
Vivo cada dia com todas suas possibilidades.
Não anseio,
não sofro o amanhã...
O amanhã ainda não veio.


Ele se foi...

Não há medo.
Ele se foi.
É um espírito.
O espírito do medo foi banido.
Já não habita a casa que sou.
Já não assombra o pensar.
Já não inibe o agir.
Ele se foi,
não pode entrar.
As trancas foram trocadas,
a porta de entrada já está fechada.
Não pode enganar os olhos abertos
que agora podem ver...
Não pode mentir com suas opressoras palavras,
com suas insinuações.
Já não há medo,
e onde não há medo,
há liberdade,
há liberdade,
há liberdade...



Posso ser.

Posso ser flor... cheia de cor,
sensível flor.

Posso ser flor,
um buquê inteiro...