Sobre o que não se pode resolver

E quem sabe o soprar do vento interno seja a dor necessária para fazer sorrir?

Porque toda dor há de ir.

Tudo que é bom também há de ir... e vir.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas