segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Palavras já não me dizem coisas...

Não fale comigo. O que tens a dizer?

Há prontidão em minha alma em Ser.

Não atravessas o mar... As ondas são susto? A quebração logo passa e ali está a calma...

Não me cante uma música se não tens o teu ritmo... Os sons são palavras emudecidas em suas letras melodicamente escondidas.

Corre! De si não vem aquilo que queres, não tens a mão no arado, somente vês os trabalhadores irem a luta.
E tu?

Vai-te, some nesse vácuo que te preenche agora. Não podes viver o denso, não podes contê-lo então dá-se à superfície e pronto.

Quantos anos queres para ver?
Quantos planos queres ter?
Quanto estás disposto a viver?


Não fale comigo. Palavras já não me dizem coisas. Não é assim que preciso.

É do que é livre que quero. Do que é grande, maduro e sincero. Do que se mostra e se abandona à si.
É do sim. É de mim.

Vou além. Eu vejo. Quero.

Minha alma tem prontidão em Viver... Em sê-lo...

Nunca mais fales comigo assim... Teu medo me emudece...



Postar um comentário