sexta-feira, 15 de março de 2013

Sem pretensão.

Não faço com a pretensão de ser ou impressionar.
Meus atos são meus e só.

Sim, há muita coisa envolvida no nosso discurso.
Temos influências da casa que crescemos,
dos risos que demos,
das lágrimas que derramamos, 
das felizes histórias que vivemos.
Temos as marcas das decepções que tivemos,
dos sonhos que esquecemos,
dos projetos que não cumprimos.
Sim, há muita coisa revelada em nossas palavras.
Há cargas emocionais construídas 
nas despedidas vividas,
nas calorosas chegadas...
Não faço com a pretensão de conquistar.
O tempo faz-nos ver que o que somos 
é o suficiente para interessar ou não.
Não tenho obrigação de agradar, 
não pretendo ser o que os outros desejam.

Quem muito dá o que esperam, 
pouco tem do que se é.

Não quero mais do que ser o que sou.
Isso já dá trabalho.
Responder minhas perguntas e clarificar minhas ideias.
Andar na minha verdade e exercer o que creio.

Lulu Santos já dizia em uma canção: 
"Deixa ser, pelo coração, se é loucura então,
melhor não ter razão..."
Está certo.

Quem caminha no seu caminho 
chega ao fim da estrada certa.
Quem olha o vento, o tempo, não semeia.
Quem ouve muitos conselhos 
não ouve o conselho da própria alma.

Sem pretensão...





Postar um comentário