terça-feira, 28 de maio de 2013

Depois.

Pronto.
Depois das palavras o silêncio.
A ausência.
O afastamento.
Depois do falar,
o pensar,
o avaliar os fatos...
Pronto.
Depois do choro o riso,
o ver que o motivo é tolo e banal.
Que nada vale a novela
que acaba virando
e o baixo astral.
Pronto.
Depois de tudo,
preciso dormir,
andar só,
uma música ouvir.
Dirigir no tumulto do Rio,
encontrar um abrigo,
um amigo a sorrir.
Pronto.
Hoje já é o depois...



Postar um comentário