sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Foi.

Sim.
Foi um beijo forte.
O primeiro foi igual.
O segundo se viu.
Viu-se o outro e temeu.
Havia ali algo mais.
Havia ali alguém.
Não era só um corpo.
Então temeu.
Não era mais somente uma noite.
Um toque qualquer.
Havia uma voz.
Uma alma.
Uma história pra contar e pra viver.
Havia um sorriso no canto da boca.
Uma risada boa a dar.
Estava lá.
Não era simples mais.


A história poderia enraizar,
poderia ser.
Poderia acontecer.
Olhou.
Beijou.
Indagou.
E abriu o pensar.
No primeiro momento era só o que era e só.
Depois era mais.
Seria maior.
Seria capaz de mudar.
Sim foi um beijo cheio.
De carinho.
Postar um comentário