segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Cheiro forte.


Hum... tem um cheiro forte de amor aqui.
Tem um gosto forte de sorrir.
Tem uns móveis esperando para mudar.
Tem porta retratos à chegar.
Hum... tem um cheiro forte de amor à vir.


domingo, 21 de outubro de 2012

Naquilo que era teu.


Vou construir a minha vida 
sem esperar por você.
Vou decorar a casa.
Vou pintar, reciclar, usar garrafas... 
lindas garrafas... vou criar.
Vou comprar minha passagem 
e vou por aí viajar.
Vou começar a viver o que ia te dar...



A escrita.

A escrita liberta as palavras,
que sufocam em sair.
Gritam e por liberdade esperam,
exigem sua vida enfim.

Escrever é uma dádiva,
transcrever o tal pulsar,
traduzir e esclarecer,
a língua que não se sabe falar.

Cada vírgula um tempo,
cada frase um belo som,
cada escrita um momento,
um acalanto,
um vento bom.

A escrita é um afago no peito,
de quem escreve e de quem lê,
é um beijo,
um abraço,
até amor já vi fazer.

Ela é rica e não precisa,
de ninguém pra assinar.
Quem escreve as assina,
só pra lembrar que esteve lá.


sábado, 20 de outubro de 2012

Meu coração por estas fotos...

Hoje meu coração vai por estas fotos.
Minha poesia é entregue nas imagens,
meu coração se esvai n'água do sentir...
Não quer com as letras ir.

Amanhã é sacudir a poeira dos pés,
e ir...
Hoje,
meu coração é só sentir.
Puro sentir... e só.
















Me.


Sorry, I'm so
weak and strong.
And I love without wanting love.
I want to change me.
Just for today.
Tomorrow ...
I'll dawn best.
I'll keep what I feel and then ...




Triste...


Respiro fundo,
deixo pingar.
Ouço o gritar.
Triste o magoar.
Deixo a quentura da lágrima descer,
fito o amanhecer.


sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Poderia ser.

Talvez a calmaria não seja de agrado.
Quem sabe esse tipo de amor que constrói junto,
que divide,
que encoraja,
não seja tão atraente assim.
Talvez o sentimento que faz o peito bater forte,
que forma a trilha sonora mais bela da vida,
que inspira,
que colore,
aquele sentimento forte,
nobre,
seja tudo do que se foge.
Aquele sentir que te faz querer estar mais e mais,
que pressiona e amedronta pelas sensações desconhecidas,
talvez esse sentimento não seja o que se deseja pra vida.
Quem sabe não deseje ter carinho pelo manhã,
ter tempero na panela,
ter uma mulher fera,
para amar e livre ser.





Quietude.

A quietude traz a potencialização dos sentidos.


quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Pelo que se faz, vê-se em que se crê.

É boa a certeza de que a vida é constituída 
de ações resultantes da fé e visões internas.
A percepção de cada um é única e o caminhar também.
Há de se levar em conta tal ato, pois o muito falar, 
ou o muito pensar não resultam na concretização dos desejos...
podem enfim atrair por si, pessoas e coisas na mesma esfera energética emitida, mas não são a base construtora.

Nossa vida é um reflexo das nossas ações. 
Os quereres transformados em atitudes.

E quantos dizem quero trabalhar, quero amar, quero sair, quero mais e mais... mas não põem-se a viver tal expectativa. Não disponibilizam-se para tal feito.
Viver em prol de uma idealização esperada frustra a vida.

"Mostra-me tua fé pelas tuas obras", já dizia à tantos a Bíblia.
E a sabedoria desta Palavra é real.

Pelo que se faz, vê-se em que se crê. 

Prossigo para o alvo.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Iº Intercâmbio Poético

Deixem seus nomes e contatos na mensagem, compartilhem a postagem e concorram a ingresso duplo para o 
Iº INTERCÂMBIO POÉTICO 
- MOVIMENTO BRASIL CULTURAL, 
ao qual terei a honra de participar com o Fora da Cena. 

Sorteio dia 03 de novembro!

Participe!

Venham estar conosco nesse dia de diversidade cultural!


O conhecer.

Porque a arte e educação têm que estar ao alcance de Todos!

O conhecer unifica, amplifica, modifica e liberta.

Penso nas vozes, nas linguagens, nos acessos escassos...

Penso nas vidas, interrompidas, nos sonhos, devastados.

Lembro-me das risadas, das crianças, que ficaram armadas.

Lembro-me dos corpos mortos, no chão, verdadeira desgraça.

Penso na Baixada, largada, reclusa na morada.

Vejo o descaso, o abandono, política Safada.

Arte e cultura, educação, o conhecer, o libertar.

A transformação se dá, em ver, ouvir, aprender e compartilhar.

De pingo em pingo, de grão em grão, de pequenos gestos, 
de inclusão.

Segue assim o tempo, o movimento, pra crescimento, então.





segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Vai ser.

Vai ser de cama larga.
Vai ser pra toda a vida.
Vai ser de riso e rima.
Vai ser amor de menina.
Vai ser a resposta da pergunta.
Vai ser a batida forte da música.
Vai ser a razão que fez o medo.
A razão do segredo.
Não vai mais ter esquinas...



?

Se não podes ser, 
então porque tens?

Se te fazes distante, 
porque te aproximas?

Se não podes sair de ti, 
porque dais sinal de vida?





Nossa história...

Nossa história virou texto,
pretexto,
de escrita.
Nossa história virou rima,
de prosa,
se fez.




Dupla de dois.

Eles são uma dupla... e contam histórias, 
levam esperançar.
Eles são tão diferentes,
e iguais a toda gente,
querem viver de amar.
Eles são amor e são arte,
contam tudo que escrevem,
sabem interpretar...
Sobem nos palcos da vida
 e até em livrarias sobem para falar...
Falam de mil histórias,
aventuras e amores às crianças vão levar.
Inspiração foi ver a foto,
da dupla de amigos amores,
que juntos vivem a trabalhar.
São juntos atores,
dividem os projetos e seguem a caminhar.
Boa vida é essa,
de andar de mãos dadas,
na direção comum,
alçando os vôos juntos,
do amor que os une,
e da profissão que os seduz.
Se eles não sabem é um prêmio,
amar e juntos assim caminhar.
São artistas de fato,
e com bumbo e violão,
vivem por aí a contar.
São uma dupla de dois,
minha homenagem aos dois, 
que são um, 
nesse texto está.

domingo, 14 de outubro de 2012

Do amor.


Do amor, da paz e da luz.
Da fé e de tudo que ela conduz.
Formação em palavras, rimas, versos e prosas.
Da família e amizades gostosas.
De mim e de tantos,
até de prantos muitas vezes já fui.

Vou de sonho, vou de céu, 
vou de música e de sons.
Gente disposta e sincera me seduz.
O coração me conduz...

Amo mesmo é ouvir as histórias das rugas 
e das gargalhadas infantis...

Assim sou tanto, um quanto e um pouco mais.
E a vida me refaz.

Sou do subtexto ativo...
Folha de rosto, capa, prólogo, conteúdo sou... 
Por Deus no ventre da vida me formou.


Amo.


Amo um amor sem tamanho...

Dedico-me a emaná-lo.
Ganhei de presente alguns amigos,
anjos disfarçados.
De riso vesti meu rosto,
De abraço vesti meu corpo,
De fé revesti meu coração,
De sim o meu pensar.
Amo um amor sem tamanho.

E como é bom amar...




sábado, 13 de outubro de 2012

Pulsa no pulso...


O coração não tem tempo.
Não tem forma.
Ele bate descompassado, esperançoso, ansioso.
O coração só tem querer, sentir, amar.
Sofre o medo de se dar e de não se dar.
Vive de ser entregue, sua natureza é assim.

O coração não tem cronologismos reais,
é feito de marcos históricos,
momentos eternizados em palpitações.

Ele ama quem o ama, quem não o ama, 
simplesmente ama o fato de amar.
O coração não é nosso,
é cativo do amor.
Ele pulsa no pulso...


sexta-feira, 12 de outubro de 2012

...sem título.

Na minha forma,
no meu ritmo,
com a minha cor,
e são muitas...
Sem compostura,
sem esconderijos,
lugares secretos eu sei,
mas são somente abrigos.

Com o coração,
com muita fé,
de Deus o escudo,
e força no caminhar.

Na belezura,
do romantismo,
no desajeito,
na vida.
Sem título.


É.

É riso profundo,
é toque de verdade,
é vida real,
sem nenhuma vaidade.

É densidade pura,
pura musicalidade,
ritmo e silêncio.

É madrugada acordado,
é junto e misturado.
São planos e construções,
divisões,
negociações.

É pele com pele,
é entrega no medo,
é medo da entrega.
É sinceridade,
é não omissão,
é bem mais que isso então...
é.


Porque de ser feliz todo mundo tem medo.


Cansei...

Cansei.
Não quero e não preciso mais entender nada 
e muito menos ninguém.
Já tô bem crescida.
As palavras vão, as atitudes ficam.
Somos claros, mas temos no recheio nossos mistérios.
Há coisas que não são necessárias à vida, 
são muitos enigmas e dificultam o caminhar.

Quem está perdido não pode oferecer ajuda,
quem não se ama não pode amar saudávelmente,
quem não acredita em si coloca expectativas e responsabilidades no outro...

Há coisas que devem ser abolidas,
extirpadas,
esquecidas.

O que passou passou.
Não torna.
Não somos iguais e nem seremos mais.
Tudo nos fez o que somos hoje.

Tem gente que se esconde da vida apegando-se ao passado,
negligenciando o hoje e achando algum culpado.

São nossas as decisões e escolhas,
feitas ou omitidas.

A falta de decisão também decide a vida.



Livre de mim!

Liberdade!
Opa coisa boa...
Chega um tempo em que já não importa o que falam.
O que pensam...
Já não muda nada.
Chega um tempo que a felicidade é somente 
ser o que realmente somos.
As teorias são somente teorias, 
o que vale é viver!
Ser.
Chega um tempo em que a melhor coisa 
que poderia ter acontecido,
era você ter se libertado de você.
Das normas que você mesmo criou...
Liberdade!
Que coisa boa...

Livre de mim!


quarta-feira, 10 de outubro de 2012

O perfeito é imperfeito mesmo!


Sim, o que mais desejamos pode até causar um determinado medo... 
mas bem melhor é viver o que a vida nos presenteia do que viver amando aquilo que não torna, ou idealizando uma perfeicão inexistente.

O perfeito é imperfeito mesmo!

Assim e
stá o equilibrio...
Assim somos mais gente!
Assim se desdobra.

A perfeicão do Amor traz a imperfeicão junto!

...é quando se ama o imperfeito que se exercita o amor perfeito!


sexta-feira, 5 de outubro de 2012

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Calorosidade...

Nossa boca tem a calorosidade 
que não se pode explicar...

Boca, beijo, somos o coração a pulsar...

Inspirar...
Expirar...
Calorosidade.
Não somos metade,
Somos mais... Somos tais...





...quem é você? (Esperando quem?)

Oi Amor!
Queria te dizer umas coisas... posso falar?

Eu sei, as coisas são estranhas,
às vezes até medonhas,
eu sei... não dá pra explicar.

Ah Amor!
Eu quero sentir o teu cheiro,
quero somente abraçada contigo dançar.
Tua pele sentir em minha pele,
e ouvir de ti o som do doce falar.

Olha amor...
Quero largar ao ar um grande eu te amo,
sem medo ou engano de assim dizer.
Pode ser,
é pra você que canto...
que eu ouço e eu sonho,
 o melhor da vida viver...

Desculpe-me amor.
Tô te esperando,
mas quem é você?



Perder-se-ia?

E se pudesses ver o que realmente 
são as palavras que fluem 
no olhar distante que entrego a ti 
na ausência do tocar?
E se pudesses além do aparente 
ver os reais fatos de ser, 
de crer e estar?
E se pudesses sentir o adocicar do belo ardor do amor que não necessita-se explicar?
E e pudesses ser e receber o bem 
que te faz a vida buscar?
Perder-se-ia?
Será?





Minha casa...

Vou montar minha casa.
Tardia?
Não. Vou montar minha casinha...
E de cores fortes hei de enche-la.


Quadros, marcas de tantos risos e momentos...
Tá, quero tudo simples.
Mas de tudo que não caiba no coração eu quero um pouco.

Ai... agora vou montar a minha casa.

Quero um tapete na entrada, não quero peixe,
é o cachorro que tem que latir...
Música constante me fará sorrir,
ver na cozinha os temperos...
Colecionar os potes,
e fazer os belos pratos pra receber...
os raros e tão belos que virão me ver.

Livros, caixas, estantes...
E a poética é o lugar de morar.
Nudez de experiência tal vou levar...
Peça a peça vai entrar... na minha casa.
Meu lugar.


Minha casa terá de mim...
Um bocado da minh'alma...
dos meus sons...
das minhas letras...
Reflexo do meu romance,
enebriante,
Universo amplo meu...
Feito seu.
Pra aconchegar o que já veio...
Pra viver o que de melhor há.

Dentro,
na casa que sou eu,
na casa que hei de estar...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...