sexta-feira, 6 de julho de 2012

...da mesma forma.

No círculo das letras e inspirações. 
Da cadência e do pulsar,
da fala e do olhar,
segue assim poética...

Pela casa d'alma põe-se a ser,
deixa livre resplandecer o que há e quer sair,
o que é e o quer vir,
o que não é e nem será...

No caminho da escrita,
vai-se linha e vem linha,
forma-se simples versar,
sem pensar,
só ecoar o sentir,
perpetuar o que não mais tornará a vir,
da mesma forma.

Um salve às letras e sua suprema liberdade... e tudo que nelas há.



Postar um comentário