sábado, 28 de julho de 2012

Forma.

Quero-te de qualquer forma.
Em qualquer dia.
De manhãzinha quero-te perto, 
com braços e abraços quentes,
com grave voz.
À tarde quero-te mais...
Andar dada com tuas mãos pelas ruas gratas por nós,
pelo amor que de nós vai...
À noite quero-te sim...
O barulho da água do chuveiro cair,
a voz cantarolar,
o cheiro a marcar o ar...
No jantar quero ouvir-te..
Quero-te de qualquer forma.
Maturar o que somos juntos, o que somos sós,
o que somos nós.
Mas quero-te amor.
Muito.
Você é minha forma.


Postar um comentário