quinta-feira, 12 de julho de 2012

Meus palcos.

Depois do figurino, maquiagem... 
e novo tudo chega ao meu sentir.

Atrás, nas coxias, mundo belo repleto de entrega, risadas e pluralidade.

Arte boa essa que flui nas veias 
que fazem pulsar gritante o coração.

Digo eu que ficamos mais belos caracterizados... 

Ah... suspiro por esse universo imaginado, 
e não posso ver-me longe dele.

Meus palcos são feitos de rua, 
de madeira, tablados, de todo canto... para toda gente...


Meus palcos, meus amores, sedutores...

Lugares meus.



Postar um comentário