quinta-feira, 26 de abril de 2012

E flui assim...

E flui assim esse Espírito em mim...
Como força motriz,
raiz de energia,
alavanca...
Impulso que irradia...


Fé viva e eficaz.


E flui assim o Sim,
Flui assim longe do medo e da solidão.
Sustenta, fortalece e alimenta a visão.

Não vem de fora a influência,
não vem de palavras soltas,
de outros ou de histórias...
Vem de dentro,
de uma nascente límpida e reluzente...

Meus olhos são cobertos pelo bom e o que endoidece,
entristece ou simplesmente não é não consegue machucar.

Há um muro de amor protetor guardando a cidade que é meu coração.
Fortificando-a.
Ele me protege das guerras que na vida imperam.
Traz o silêncio à minha cidade natal,
afasta o mal.

E quando há perguntas de como e quando... de porque e quais os motivos de seguir com tamanho sorriso,
tamanho intento,
tanta direção mesmo na oposição...
O que posso dizer?

Vou além das formas,
das normas,
dos tempos...
Vou além do que posso,
pois o que posso é um limite estipulado por mim que simplesmente quer dizer:
"Até aqui conheço..."


Vou além desse lugar.

Deixo fluir assim.
Natural.
Essencial.
Pleno.
Denso.
Deixo fluir o que há dentro.

E vai assim:
terno e sem fim...



Postar um comentário