quarta-feira, 16 de maio de 2012

Peixes...

Minimalista.
Compactada na intensidade.
Proposta silenciosa.
Nas águas.
Dos Peixes.
Dos que navegam em amplos lugares...
...pouco frequentados e pouco conhecidos 
dos que na superfície tracejam seus passos.
Das águas profundas.
Daqueles seres que são dotados da coragem admirável...
daquela dos saltos...
Do se lançar... 
Das tempestades diurnas.
Da vida secreta da alma.
Distância das curvas,
da sinuosidade incessante.
Da fumaça intoxicante,
do brilho escuro confuso da noite.
Da romântica constância e calmaria que brisa a vida... da menina.
Do dia.
Do monte.
Do interno bruto.
Da grandeza que não se pode falar aos que só ouvem a si...
Minimalista? 
Amplitude.
Na essência coragem: bravura!
Tem até doçura pelos mares barcos em si...
É de se admirar tais peixes.



Postar um comentário