segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Falar.


Quero meu silêncio,
mas ele não vem.
Calo as palavras, 
mas ele não vem.
O interior fala,
sem parar fala.
Não pode calar.
Respiro fundo os ares dos tais locais por onde vou.
Vejo seus brilhos belos reluzirem a vida em si.
Fico a observar o mar 
e suas quebradas ondas a bailar.
Quero silenciar.
As palavras guardei.
Mas a voz está lá.
A falar.


Postar um comentário