Sinto-me...

Sinto-me feliz com a ternura do momento.
Com a largura do sentimento.
Com a tranquilidade do olhar.
A paciência no falar.
Com o que a novidade traz.
E o pensar...
Ah... o pensar...
Sinto-me docemente feliz.
E as mãos livres do coração escrevem...



Postar um comentário

Postagens mais visitadas